Categorias

Notícias

Maio 2024
D S T Q Q S S
 1234
567891011
12131415161718
19202122232425
262728293031  

Sondagem

O SIMA deve apresentar já para 2020 uma proposta de aumento salarial em que nenhuma das categorias profissionais aufira um salário inferior a 750 €?

View Results

Loading ... Loading ...
industriAll
Together At Work
Democracy at Work

SIMA reúne com Faurecia Palmela



O SIMA reuniu no dia 8 de Março, com a Directora de Recursos Humanos da Faurecia de Palmela, na pessoa da Sra. Dra. Ana Barbosa e da Sra. Dra. Carla Neto Directora de Recursos Humanos da Faurecia de Portugal.
Tratou-se de uma reunião, com vista a debater a situação da empresa e as perspectivas para o futuro da mesma. Isto porque o SIMA acompanha com preocupação a evolução da situação da empresa.
Por parte do SIMA, o Sr. Secretário-geral, José António Simões, Dr. Alberto Simõesrepresentante docontencioso do SIMA e ainda directores, do SIMA, na empresa Herculano Santos, Tércio Calisto e Rui Lourenço. Do decurso da reunião foi abordado o acordo e posição do SIMA sobre o mesmo lembrando á empresa que existe o CCTQUIMICO em vigor.
O Comité Europeu e alguns assuntos pendentes de outras unidades da Faurecia de Portugal também foram abordados, mas a pintura da unidade de Palmela que neste momento está com o futuro incerto é a nossa maior preocupaçãopor estar em causacerca de 60 trabalhadores.
Há que «olhar para o futuro». A empresa tem consciência que é importante usar, na sua totalidade a capacidade da fábrica, mas se não houver mais projectos ou aquisição da SPPM por parte da Faurecia o fim da pintura parece estar próximo.
Na eventualidade do término da pintura de Palmela ter-se á de arranjarsolução para os 60 trabalhadores.
Foi abordado por parte do SIMA a possível integração de alguns desses trabalhadores nas empresas do grupo Faurecia (SAS e VANPRO) da qual as Faurecia têm 50% do capital.
Por parte da empresa é uma questão que não está fora de questão, mas também está em cima da mesa as rescisões amigáveis.
A reunião foi importante, pois tratou-se de uma reunião onde ambas as partes interagiram e onde foi possível, a ambas as partes, colocar os seus pontos de vista, solicitar esclarecimentos sobre algumas das questões, ainda que saibamos que existem muitas outras que requerem uma aproximação mais concreta e pormenorizada. Foi patente a importância do conhecimento e da experiência que o SIMA tem, tanto a nível nacional, europeu como mundial, da realidade do sector.
O SIMA continuará a acompanhar a evolução da empresa e outras reuniões terão lugar sempre que se justificar, até mesmo para abordar outras questões.
O SIMA reuniu no dia 8 de Março, com a Directora de Recursos Humanos da Faurecia de Palmela, na pessoa da Sra. Dra. Ana Barbosa e da Sra. Dra. Carla Neto Directora de Recursos Humanos da Faurecia de Portugal.
Tratou-se de uma reunião, com vista a debater a situação da empresa e as perspectivas para o futuro da mesma. Isto porque o SIMA acompanha com preocupação a evolução da situação da empresa.
Por parte do SIMA, o Sr. Secretário-geral, José António Simões, Dr. Alberto Simõesrepresentante docontencioso do SIMA e ainda directores, do SIMA, na empresa Herculano Santos, Tércio Calisto e Rui Lourenço. Do decurso da reunião foi abordado o acordo e posição do SIMA sobre o mesmo lembrando á empresa que existe o CCTQUIMICO em vigor.
O Comité Europeu e alguns assuntos pendentes de outras unidades da Faurecia de Portugal também foram abordados, mas a pintura da unidade de Palmela que neste momento está com o futuro incerto é a nossa maior preocupaçãopor estar em causacerca de 60 trabalhadores.
Há que «olhar para o futuro». A empresa tem consciência que é importante usar, na sua totalidade a capacidade da fábrica, mas se não houver mais projectos ou aquisição da SPPM por parte da Faurecia o fim da pintura parece estar próximo.
Na eventualidade do término da pintura de Palmela ter-se á de arranjarsolução para os 60 trabalhadores.
Foi abordado por parte do SIMA a possível integração de alguns desses trabalhadores nas empresas do grupo Faurecia (SAS e VANPRO) da qual as Faurecia têm 50% do capital.
Por parte da empresa é uma questão que não está fora de questão, mas também está em cima da mesa as rescisões amigáveis.
A reunião foi importante, pois tratou-se de uma reunião onde ambas as partes interagiram e onde foi possível, a ambas as partes, colocar os seus pontos de vista, solicitar esclarecimentos sobre algumas das questões, ainda que saibamos que existem muitas outras que requerem uma aproximação mais concreta e pormenorizada. Foi patente a importância do conhecimento e da experiência que o SIMA tem, tanto a nível nacional, europeu como mundial, da realidade do sector.
O SIMA continuará a acompanhar a evolução da empresa e outras reuniões terão lugar sempre que se justificar, até mesmo para abordar outras questões.



Os comentários estão fechados.